quarta-feira, 3 de setembro de 2014

Há 30 anos - Tina Turner, Ayrton Senna, Niki Lauda e eu...


Há exatos 30 anos, a música mais ouvida no mundo era "What's Love Got to do with it?", da Tina Turner, e o filme que liderava as sessões de cinema era "Os Caça-Fantasmas", com um dos meus atores favoritos, Bill Murray.

Na Fórmula 1, o ano ficou marcado pela estreia de Ayrton Senna na categoria, e do tricampeonato do austríaco Niki Lauda, na menor diferença da história sobre o segundo colocado, apenas meio ponto (um dia explico como foi isso), e foi em cima de nada mais nada menos que Alain Prost.

O Fluminense era campeão brasileiro, aconteceram as Olímpiadas em Los Angeles, o Brasil ganhou uma medalha de ouro com Joaquin Cruz nos 800 metros rasos, enquanto a seleção brasileira do técnico Jair Picerni voltava pra casa com a medalha de prata, em um time que contava com Dunga, Mauro Galvão, Milton Cruz, entre outros.

No Brasil, os esforços para aprovar as eleições diretas fracassavam, e sim, ainda estávamos na ditadura.

Nada disso tem muito a ver, mas foi nesse dia que este que vos escreve nasceu, e já fazem 30 anos, é muito tempo, eu sei.

É em datas como essas que paramos e olhamos para trás, e o tempo voou, parece que foi ontem que eu estava em casa no meio da tarde sem absolutamente nada pra fazer, as opções eram assistir sessão da tarde ou dormir, saudades da infância, da escola, dos amigos (alguns que estão presentes até hoje).

Você acaba fazendo uma autoanálise, onde acertou, onde errou, no meio de tudo isso o mais importante é ter tirado lições de absolutamente tudo.
Niki Lauda, Alain Prost e Ayrton Senna em 1984
Você vê coisas o que poderia ter conquistado se tivesse um pouquinho mais de garra, coisas que poderia ter cuidado melhor para não perder e se arrepender depois.

Mas vê também suas conquistas com orgulho, vê as voltas por cima que deu, o aprendizado que obteve com pessoas que passaram por sua vida, vê também o que você pôde ensinar. E aqui vai um conselho, ensine o que puder ensinar a quem tem vontade de aprender, essa é a melhor maneira pra você evoluir e aprender mais e mais.

Você também vê sua família evoluir, crescer, envelhecer, diminuir. Vê também (no meu caso) o amor de seus pais do mesmo jeito de sempre, são meus exemplos e agradeço a Deus por isso, alias, agradeço a Ele por tudo.
Não me lembro do meu aniversário de 10 anos, provavelmente ganhei roupas, brinquedos ligados a Fórmula 1 e carrinhos, muitos.

Nos meus 20 eu era um jovem normal e imaturo que queria saber de se divertir e fazer idiotices. Arrependo-me de na época não querer fazer faculdade, fiz anos mais tarde e hoje me pergunto onde eu estava com a cabeça, pois perdi muito tempo por causa disso.
Seleção Olimpíca de 1984
E aí os anos vão passando e você começa a fazer planos e traçar metas que inconscientemente acaba projetando para os 30 anos, coisas como casar, ter filhos, ter sua casa, não ser demitido pelo Justus, conhecer o Rubens Barrichello ou qualquer outra coisa, então você chega nos 30 e percebe quem muitas dessas coisas não aconteceram, mas nada disso é totalmente absurdo, é como meu amigo chamado Ted Mosby sempre diz:

"Pedimos ao universo todos os sinais que nós queremos, mas no final nós só vemos o que vemos, quando estamos prontos para vê-lo".

Ou seja (cereja), se você ainda não tem é porque não estava na hora de ter, não se descabele, pelo menos eu acho que é isso que quer dizer, apenas agradeça e não desista.

Até chegar nos 30 você vai acabar iludindo, sendo iludido, você vai se apaixonar e depois chorar por isso, alguém irá chorar por você, e com tudo isso você vai aprender, e use essa lições para acertar nos próximos passos.

Você vai criar uma bagagem com sua vida, e saiba que todos têm uma, faz parte, e como tudo, é mais fácil quando alguém te dá uma ajuda. Então, encontre alguém quando tiver que encontrar, sem pressão, alguém que te complete, que ajude, e que também precise da sua ajuda, alguém humano como você. Tenha em mente que ninguém é perfeito, muito menos você, claro que dependendo da sua idade mental essa última frase você não se lembrará.

Lembre-se e fique feliz com isso, que aos 30 você terá experiência e maturidade suficiente pra não fazer de uma besteirinha qualquer virar um drama na sua vida, você será mais sensato, pensará antes de fazer algo, você vai ver que o mundo e suas tragédias pessoas não estão ligados diretamente e que o universo não gira ao seu redor e quem muito menos está contra você, verá as coisas de outra maneira, ou não, claro.

Sou do tipo que não gosta muito de aniversários, fico meio pra baixo sei lá o porquê (por que, porque) disso, mas só tenho que agradecer a Deus por cada um deles, pois significa que estou vivo, significa que posso tentar novamente e não errar, significa mais uma chance, e que um dia, vai dar tudo certo (espero que sim), significa que estou aqui, e agora, afinal ouvi dizer que a parte boa da vida começa agora, vamos ver.

Peço a Deus pra que daqui a 60 anos eu possa estar escrevendo sobre minhas memórias, sobre mais erros, e muito mais acertos, rodeado de meus filhos e netos, sendo um exemplo, que eu faça por merecer, não foi isso que o capitão John Miller disse ao soldado James Ryan? Faça por merecer a sua vida.

Mas porque (por que, porquê) daqui há sessenta anos e não apenas trinta? Não quero viver só mais trinta, mas quero pelo menos mais sessenta, viver é bom.

De coração, espero que quando você que está lendo chegar aos trinta, pense mais ou menos dessa maneira.


Obrigado Pai, por mais essa década de vida.

Rômulo Rodriguez Albarez - São Paulo/SP - 30 anos depois....

2 comentários: