sexta-feira, 30 de março de 2012

F1 1980 – Foi há 32 anos


A primeira vitória de Nelson Piquet, seguido por Patrese e Fittipaldi
Em um fim de semana a Fórmula 1 presenciou, uma despedida, uma tragédia e a primeira de muitas vitórias, tudo isso aconteceu no dia 30 de março de 1980, há 32 anos.
O último pódio de Emerson

O então jovem Nelson Piquet largando na pole, o bi-campeão Emerson Fittipaldi largando em 24º e o suíço Clay Regazzoni largando naquela que seria sua última corrida na Fórmula 1.
Piquet largou em primeiro e não foi ameaçado por ninguém para a sua primeira vitoria na categoria, a primeira vitória do Brasil em 5 anos.
A última havia sido conquistada em 1975, no GP da Inglaterra e foi por Emerson Fittipaldi, então piloto da McLaren.
O próprio “Rato” (apelido de Emerson) tratou de coroar a primeira vitória de Nelson Piquet, largou e 24º e chegou em terceiro com sua Fittipaldi (única equipe brasileira na Fórmula 1), chegando logo atrás de Riccardo Patrese. Esse foi o último pódio de Fittipaldi, que simbolicamente passou o bastão brasileiro a Piquet.
Foi uma corrida de festa para o Brasil, porém de tristeza para a Suíça.
O último carro, a última corrida de Clay
Clay Regazzoni se envolveu em um acidente e ficou paraplégico, nunca mais sentou em um carro de Fórmula 1. O piloto suíço morreu em 15 de dezembro de 2006 em um acidente em Parma, na Itália, seu automóvel se chocou contra um caminhão.


Rômulo Rodriguez Albarez – SP/SP – Relembrando algo que não presenciei.

F1 2012 - GP da Austrália em alta definição


Rômulo Rodriguez Albarez - São Paulo/SP - Tá tenso!

F1 2012 - Felipe Massa


Felipe Massa foi elogiado pelo pessoal da Ferrari por fazer um plantão extra em Maranello para analisar seu péssimo início de ano.


É o que tem pra hoje, o brasileiro está na situação mais delicada de sua história na F1 e precisa com urgência ganhar tudo e ser campeão para talvez continuar na Ferrari, caso contrário, a Ferrari dará um “hasta La vista baby” em Felipe no final do ano.
Na temporada de 2007, a Ferrari vinha de um título com o finlandês Kimi Raikkonen e com Felipe Massa em 4º no fim do ano.
Em 2008, Felipe Massa não pontuou nas duas primeiras, enquanto seu companheiro e atual campeão na época Kimi Raikkonen havia vencido a 2ª corrida do ano, na Malásia, da mesma maneira que acontece nesse ano.

O que se viu depois naquele ano foi, uma reação incrível de Massa, o que o levou a disputar o título no final do ano, no Brasil contra Lewis Hamilton. Como resultado o final mais emocionante da história e o inglês levando o título por um ponto.
Ao Felipe Massa, basta fazer como em 2008, porém a Ferrari de 2012 é muito inferior ao que era naquele ano. Não tem um carro “bem nascido” e Felipe já não tem o mesmo “sangue nos olhos” que tinha antes do acidente e da vitória entregue para Alonso na Alemanha no ano passado.
Ou seja, a situação de Felipe Massa não é das melhores.
Felipe ainda é querido na Ferrari, é prata da casa e a equipe em minha opinião, está tendo muita paciência com ele.
E paciência tem limite.
Eu como todo brasileiro torci e coloquei o Felipe lá em cima alguns anos atrás, e também como todo brasileiro não está nada feliz com o Massa de dois anos pra cá.



"Nublada" é a atual situação de Massa
Como pessoa nascida no Brasil e amante da categoria, torço para que Massa dê a volta por cima e volte a ser vencedor. Mas como analista da Fórmula 1, não vejo mais merecimento a Felipe Massa de estar na Ferrari e talvez na própria Fórmula 1.É esperar para ver.


Rômulo Rodriguez Albarez – Saint Paul/SP – Acorda rapaz!

quarta-feira, 28 de março de 2012

F1 2012 - O humor gelado de Kimi Raikkonen

Kimi Raikkonen - Malásia 2009

O Kimi Raikkonen é realmente um cara diferente. Bem ao estilo Nelson Piquet na hora de dar entrevista com um estilo “que se dane, o “Homem de Gelo” não é o preferido da imprensa na hora das entrevistas, porém, o finlandês de vez em nunca mostra que também tem bom humor.
Em 2009, quando Kimi era piloto Ferrari, a corrida teve bandeira vermelha por causa da chuva, muito maior que a chuva desse ano.
Enquanto todos os pilotos aguardavam para voltar à corrida, Kimi decidiu que não correria mais naquele dia, já sem macacão aproveitou para degustar um picolé e foi flagrado pelas câmeras que mostraram ao vivo a cena.
Para celebrar sua volta à Malásia após três anos, Kimi resolveu presentear toda a imprensa presente no autódromo junto com um recado impresso pela Lotus.
Em meio ao clima que a F1 coloca seus pilotos, um pouco de bom humor é sempre muito bem-vindo, ainda mais quando parte do cara mais frio da categoria, Kimi Raikkonen.
O presentinho de Kimi Raikkonen à imprensa
Rômulo Rodriguez Albarez - Sao Paolo/SP - O frio chegou...

F1 2012 – E com a palavra, Narain Karthikeyan

Narain Karthikeyan
A versão chorona de Sebastian Vettel soltou o verbo quanto ao toque dele com a Hispania de Narian Karthikeyan. O indiano ficou calado e chegou a admitir a culpa em entrevista à BBC, e foi muito sabiamente interrompido por David Coulthard, que o defendeu dizendo que o piloto da Hispania não fez nada. E não fez mesmo.
Agora, Narain resolveu falar, e falou tudo.
Um campeão mundial dizer coisas desse tipo é uma vergonha”, afirmou Karthikeyan ao Hindustan Times.
É realmente pouco profissional. Para um piloto que atingiu tanta coisa, descontar suas frustrações em mim, só porque ele está tendo um ano difícil é realmente triste. Não se espera que um esportista profissional seja tão chorão.”
Só porque ele tem um bom carro, ele não pode chamar os outros de idiotas”, em entrevista ao ‘Deccan Chronicle’.
Eu venci corridas em todos os outros campeonato de monopostos que eu participei, então eu não preciso de um certificado do Vettel”, finalizou.
Feche a conta garçom, de idiota o indiano não tem nada, e Vettel precisa aprender a ser ele mesmo ganhando ou perdendo.

Rômulo Rodriguez Albarez – São Paulo/SP – Chorão foi ótima!!!

F1 2012 - Mamãe Senna

Viviane com Bruno Senna - vitória na GP2 em Mônaco

Em entrevista à rádio Estadão ESPN, a presidente do Instituto Ayrton Senna se emocionou ao ouvir entrevista com o filho, hoje piloto da Fórmula 1.



Rômulo Rodriguez Albarez - Sampa/SP - garoando!

terça-feira, 27 de março de 2012

F1 2012 GP da Malásia - Arriba muchacho!!!



A vitória de Alonso e a alegria de Sergio Pérez
São momentos assim que o automobilismo nos dá alegria. O segundo lugar de Sergio Pérez, a festa do garoto que por uma equipe mediana fez uma corrida pra ninguém esquecer.
É muito legal ver o primeiro pódio de um piloto, a primeira vitória. Eu me lembro muito da primeira vitória de Sebastian Vettel pela equipe Toro Rosso em 2008, a festa, a gritaria, a alegria plena e pura. Você acaba ficando feliz junto com o fulano.

E foi assim ontem com Sergio Pérez, a felicidade estampada o tempo todo no pódio.

Bruno Senna vai se tornando o principal piloto brasileiro na Fórmula 1,
E não como aqueles pilotos que acostumamos a ver no pódio, com o tempo, acaba virando um “teatro”, mas não os culpo por isso, a alegria está ali com certeza, mas torna-se rotina e o sentimento acaba tornando-se algo controlado.
Checo se desconcentrou, deu uma escapadinha e perdeu a chance de brigar roda a roda com Fernando Alonso pela vitória. Mais do que o erro, valeu e muito a corrida do mexicano, a hora certa de entrar nos boxes, a velocidade, a sorte, o talento.
O mexicano era considerado uma promessa, agora mais do que isso, é uma realidade.
Concordo com Reginaldo Leme quando o mesmo disse que o pedido do engenheiro para Perez tomar cuidado o tenha desconcentrado, afinal, um futuro campeão quando começa sua carreira, é um inexperiente, e como tal peca, mas peca e aprende. Ao invés de mandar tomar cuidado, incentive-o ou fique calado.
Fernando Alonso foi Fernando Alonso, o sortudo de sempre foi mágico, levou à vitória a “carroça” de Maranello.
Fernando Alonso merece a atenção que tem da Ferrari, tirou um coelho da cartola para vencer.
E claro, como muitas vezes em sua carreira, o espanhol teve sorte, uma vez que o mexicano se aproximava perigosamente quando errou e entregou a vitória para o rapaz das Astúrias.
A vitória de Alonso afunda Felipe Massa, que chegou em 15º com outra apresentação péssima.
Felipe Massa parece iniciar sua saída da F1
A mídia já dá como certa a ida de Sergio Pérez para o lugar de Massa. Sinceramente acho que a Ferrari não fará isso até o meio do ano, Felipe Massa que não se cuide, pois já é quase um ex-piloto de Fórmula 1.
Outro destaque da corrida foi Bruno Senna, ele não foi um Ayrton, mas fez uma bela corrida na chuva, chegou a estar em último e depois de várias ultrapassagens, o primeiro sobrinho terminou em 6º lugar.
Claro que a RGT fez um carnaval com o resultado do piloto, que foi ótimo si, porém, é preciso ter os "pés no chão" e parar de afobação.
Rubens Barrichello se foi, Felipe Massa está aos poucos deixando a categoria. Olhando por esse lado, é interessante ver que Bruno Senna que no ano passado era um 3º piloto, chega em 2012 como o principal piloto brasileiro na Fórmula 1.
De resto percebe-se que Sebastian Vettel está começando a sentir a pressão de não ter o melhor carro.
Falou e fez besteira sobre o toque com o Narain Karthikeyan. O alemão chamou o indiano de idiota, mostrou dedo do meio e foi aquela choradeira digna de Alonso, ou seja, foi uma tempestade em copo d’água.
Narain não fez nada de errado e fez milagre a estar na pista em décimo na hora que a corrida foi paralisada.
Muita chuva e quase uma hora de paralisação. Quem não queria voltar acabou ganhando, Schumacher e Massa que conversavam antes do recomeço não imaginavam o que estava por vir e Kimi Raikkonen não chupou sorvete dessa vez.

Kimi Raikkonen fez bela corrida chegando em 5º e de quebra saiu com a melhor volta.

Kimi Raikkonen que por sua vez terminou em 5º lugar, e apenas um comentário, não parece que o finlandês ficou parado por 2 anos. Ele obteve a volta mais rápida da corrida.




Rapidinhas do mundo a fora:


Na GP2 Luiz Razia venceu a primeira corrida e lidera o campeonato, enquanto Felipe Nars terminou a segunda prova na terceira posição.
Na Indy deu Hélio Castroneves, enquanto a estréia de Rubens Barrichello foi bem tranqüila, o brasileiro chegou a andar em 8º, mas a duas voltas do fim acabou o combustível de seu carro. Barrichello está em fase e aprendizado na Fórmula Indy, que é muito diferente da Fórmula 1, onde o paulista passou os últimos 19 anos.

A Fórmula 1 volta daqui 3 semanas para o Grande Prêmio da China.


Rômulo Rodriguez Albarez - São Paulo/SP - Ainda é terça...=l

sexta-feira, 23 de março de 2012

F1 1986 - Foi há 26 anos



Aconteceu a 26 anos, em um cenário totalmente inverso ao que temos hoje na Fórmula 1.
Foi na abertura da temporada de 1986, no GP do Brasil, que um momento histórico aconteceu e, até hoje é lembrado como um dos mais emocionantes para o esporte a motor brasileiro.
A corrida terminou com os brasileiros Nelson Piquet e Ayrton Senna, ocupando respectivamente as duas primeiras posições, seguidos pelo francês Jacques Laffite, em 3º.
E no pódio, para o delírio do público, uma imagem que ficará para sempre:
Nelson Piquet e Ayrton Senna segurando a bandeira do Brasil.
Para nós que não pudemos assistir, graças a Deus pelo Youtube, que nos traz as imagens e a esperança de que um dia voltaremos aos bons tempos.
O que creio eu, que seria um milagre.

O Pódio do GP Brasil de 1986

Rômulo Rodriguez Albarez – Capital de São Paulo/SP – Com a ajuda da minha Bonita.

F1 2012 - GP da Malásia - Treinos Livres

Homenagem da Ferrari a Marco Simoncelli
E as atividades para a segunda corrida do ano começaram.
Na quinta a Ferrari tratou de homenagear o italiano Marco Simoncelli, piloto da MotoGP que morreu em um acidente durante o GP da Malásia da categoria em 2011.
Na sexta os motores roncam e deu, Lewis Hamilton, liderou as duas sessões com tranqüilidade. Mas a surpresa ficou por conta do finlandês Valtteri Bottas, terceiro piloto da Williams que correu no lugar de Bruno Senna no primeiro treino livre.
O brasileiro voltou ao seu posto para o segundo treino e, assim como Felipe Massa, foi mal.
Ficou quase nove décimos e terminou o dia em 19º, três posições atrás do finlandês e cinco atrás do companheiro Pastor Maldonado.
Felipe Massa por sua vez, tomou um segundo do companheiro de equipe Fernando Alonso e 10 posições atrás do espanhol.
Segundo a Ferrari, a diferença nos tempos, se deve pelo fato dos dois pilotos estarem efetuando trabalhos diferentes durante os treinos da sexta-feira, e que o real desempenho do brasileiro será visto e avaliado na classificação. Ou seja, Felipe Massa faz o trabalho pesado enquanto Fernando Alonso treina para andar cada vez mais rápido. Pelo histórico dos dois, a Ferrari está corretíssima.
A frase do Stefano Domenicali expressa bem o momento de Massa: Em relação ao que vimos hoje, nós trabalhamos com programas diferentes para cada piloto. Amanhã veremos como está a situação. O trabalho é para ter certeza que Felipe tem o melhor carro nas melhores condições.
Felipe Massa está sendo testado por seu desempenho, e se precisar, certamente farão uma substituição.
Classificação Geral da sexta-feira na Malásia
Rômulo Rodriguez Albarez - São Paulo/SP - Sexta-feira, para nooooooossa alegriaaaaa...♪♫

quinta-feira, 22 de março de 2012

F1 2012 - E aí Rubinho, encara essa?

O site italiano “Auto”, está fazendo uma pesquisa:

Se você fosse Stefano Domenicali, quem colocaria no lugar de Felipe Massa?

E o resultado é: goleada de Rubens Barrichello com quase 50% dos votos



A primeira das nove vitórias de Rubens Barrichello na Ferrari
Claro que tudo não passa de uma pesquisa feita, apenas por mera "curiosidade" do site italiano e de nada vale.


Rômulo Rodriguez Albarez - San Paolo/SP - Chove não chove!!!

F1 2012 - Abertura da temporada - Sky


Ainda bem q o champagne de hoje em dia se abre facilmente

Fuçando nos blogs que costumo seguir, vi um texto muito interessante no Voando Baixo sobre a abertura da temporada 2012 da F1 em diversos canais, abaixo uma amostra da abertura do canal Sky.
Muito bem elaborado e com edição de imagens de todas as épocas da F1.


Rômulo Rodriguez Albarez - São Paulo/SP - E bóra trabalhar!

quarta-feira, 21 de março de 2012

#Senna52


Ayrton Senna da Silva não está mais entre nós, se estivesse vivo, hoje estaria fazendo 52 anos.
Para nós, basta apenas lembrar de um cara que tinha orgulho de ser brasileiro e era o melhor no que fazia.
Vencer.





Rômulo Rodriguez Albarez - São Paulo/SP - #Senna52

Fórmula 1 - sem comentários



Rômulo Rodriguez Albarez - São Paulo - ...!

O objetivo é a vitória!

A cara de poucos amigos de Lewis Hamilton após a corrida
No pódio da Austrália todos notaram a cara de poucos amigos do Lewis Hamilton. E eu digo, é isso aí Lewis.
Piloto que quer chegar a algum lugar tem que ficar bravo mesmo por ter perdido uma corrida, perdido para o companheiro, perdido para o rival, perdido de qualquer forma.
O dia em que o piloto chegar em terceiro da forma que Lewis chegou e ficar alegre, pode colocá-lo no olho da rua, porque esse cara não é um campeão, é apenas mais um.
Mas também não adianta ficar bravo, com cara fechada e não fazer nada para reagir, vamos ver quais atitudes serão tomadas pelo Lewis nas próximas corridas.
Felipe Massa é um cara que fica bravo com seus resultados, ainda mais por ficar atrás de Fernando Alonso quase sempre. Porém, é um cara que não consegue reagir e com certeza, está fazendo hora-extra na Ferrari.
Piloto que é piloto tem que querer sempre a vitória, e fazer por onde para chegar até ela, sempre querer o algo a mais.
Pontos também levam ao título, porém vitórias dão brilho e corpo ao campeonato mundial de Fórmula 1, vitórias nos fazem lembrar sempre de um campeão.
Como nos lembramos do título de Keke Rosberg? Por suas vitórias? Não, nos lembramos do título do Keke em 1982 por ser o único piloto da história a ser campeão com apenas uma vitória, sempre ela, a vitória.
Em um ano em que os favoritos se destruíram, com a morte de Gilles Villeneuve e o acidente de Didier Pironi que o tirou da F1 para sempre, sobrou o constante e detentor de uma única vitória em 82 Keke Rosberg e o primeiro título da Finlândia na F1.
Eu poderia citar outros tantos campeões natos, que acima de tudo, buscavam sempre o lugar mais alto do pódio e não se contentavam com o segundo lugar.
Segundo Ayrton Senna, “o segundo nada mais é que o primeiro dos perdedores”.
O que seria da temporada de 1988 se Ayrton Senna e Alain Prost não buscassem apenas a vitória e nada mais? Apenas mais uma temporada.
Resultado de 1988, oito vitórias para Senna e sete de Alain, em uma das mais eletrizantes temporadas de todos os tempos, onde a maior rivalidade da história da F1 surgiu. E ainda sobrou uma vitória para Gerhard Berger da Ferrari, com seu companheiro, o mito italiano Michele Alboreto, na Itália para o delírio dos tifosis.
Foram citados apenas alguns dos quais tinham ou ainda tem o único e claro objetivo de vencer, alguns outros merecem ser lembrados:
-Sebastian Vettel **
-Lewis Hamilton *
-Fernando Alonso **
-Michael Schumacher *******
-Ayrton Senna ***
-Nigel Mansell *
-Alain Prost ****
-Nelson Piquet ***
-Gilles Villeneuve
-Ronnie Peterson
-Niki Lauda ***
-Emerson Fittipaldi **
-Jackie Stewart ***
-Jim Clark **
-Juan Manuel Fangio *****                         (*) – Número de títulos
Tentei colocar em ordem cronológica, me perdoem se aparecer algum erro, ou se por acaso eu esquecer o seu piloto favorito.
Para finalizar, fica aqui meu apoio a Lewis Hamilton, tem que ficar bravo mesmo, mas também tem que mostrar serviço daqui para frente.
Não torço por ele na disputa pelo título e sinceramente, nem para o brasileiro que teoricamente teria a chance de ser campeão.
fileira de cima: Juan Manuel Fangio, Gilles Villeneuve, Ayrton Senna(McLaren com a bandeira do Brasil), Ronnie Peterson e Sebastian Vettel
fileira do meio: Michael Schumacher, Ayrton Senna, Alain Prost, Nigel Mansell, Nelson Piquet e Jim Clark
fileira de baixo: Jackie Stewart, Lewis Hamilton, Niki Lauda, Emerson Fittipaldi e Fernando Alonso.
Rômulo Rodriguez Albarez - San Pablo/SP - Obrigado Senhor, pelo livramento!!!

terça-feira, 20 de março de 2012

F1 2012 - Pastor Maldonado tem razão!

Ivan Capelli

texto: A Williams está de volta
O campeonato mal começou, uma única corrida num circuito tão particular quanto o Albert Park não é o melhor dos parâmetros para se tomar posições definitivas, mas é inegável que o desempenho da Williams no GP da Austrália impressionou todo mundo. Embora Bruno Senna tenha sofrido um acidente no começo que prejudicou bastante sua corrida, o que Pastor Maldonado fez foi impressionante. E, por mais rápido que o venezuelano seja, a consistência de sua corrida se deve a um bom carro. É isso, senhores: a Williams está de volta.
Lógico, não é a Williams que conhecemos num passado já nem tão recente assim. Não vai brigar por títulos, vitória só se algo fora de série acontecer, mas deve marcar pontos com consistência. Maldonado disse depois da prova: "Acho que nós somos mais rápidos que a Ferrari, mais rápidos que a Sauber e a Forca India, também". E ele tem razão.
Analisando os tempos de volta do venezuelano durante a corrida em comparação com os da Ferrari de Fernando Alonso, a conclusão é até óbvia. Maldonado podia estar em um bom dia, é um piloto veloz, mas não é nenhum Alonso. E ele conseguiu manter um ritmo tão consistente quanto o do espanhol, muitas vezes até melhor. E enquanto a Ferrari sofria com os pneus macios, que duraram apenas 13 voltas, a Williams fez 16 no primeiro stint, com carro pesado, e depois conseguiu repetir a mesma estratégia por mais 21 voltas. Desequilibrada, a Ferrari não pôde fazer dois stints com macios, optando pelos médios já no primeiro pit-stop. Conclusão: a Williams é equilibrada e consome adequadamente os pneus.
Outra informação importante antes de analisar os tempos de volta é que Fernando Alonso ficou praticamente dois terços da corrida a uma distância superior a dois segundos em relação ao carro da frente, o que significa que correu praticamente com pista limpa, podendo fazer tempos de volta sem ser prejudicado pelo carro da frente. Maldonado, por sua vez, ficou cerca de metade da prova sempre com alguém à sua frente, precisando negociar ultrapassagens e tendo seu ritmo de prova tolhido. Além disso, o piloto da Williams errou na quinta volta, quando escapou da pista e perdeu mais de cinco segundos. Ainda assim, perseguiu Alonso até o último giro, quando bateu.
Tempos médios dos stints de Alonso e Maldonado
Sem considerar a primeira volta, pit stops e voltas com safety-car
* Descontada a volta em que Maldonado saiu da pista

** Descontada a volta final, já que Maldonado bateu e Alonso reduziu a velocidade.
A tabela com o tempo médio de cada piloto deixa bem claro que Maldonado está com mais do que razão. Ao menos na Austrália, a Williams esteve à frente da Ferrari. Descontando a volta em que o venezuelano saiu da pista, já que o objetivo é avaliar a consistência dos tempos, o primeiro e o segundo stints de Maldonado foram melhores que o da Ferrari. Impressiona, também, perceber que os dois carros fizeram o segundo stint com o mesmo número de voltas (21), mas tendo a Williams pneus macios, contra médios da Ferrari.
No último stint, Maldonado e Alonso andaram praticamente no mesmo ritmo, descontando a volta final, já que nela o piloto da Williams bateu e Alonso reduziu a velocidade para cruzar a linha de chegada. Fica claro que a Ferrari detinha o desempenho da Williams, que era mais rápida e tentava a ultrapassagem.
Será muito bom para a F1 que a Williams consiga permanecer no topo. Na Malásia teremos uma noção melhor do comportamento dos carros, já que a pista de Sepang castiga mais os pneus, ao mesmo tempo em que permite mais ultrapassagens que o Albert Park. Mas minha aposta é numa Williams pelo menos entre os oito primeiros, situação que pode permanecer até o meio da temporada. Uma boa notícia para Bruno Senna.
O pouco poder econômico do time, infelizmente, pode fazer com que o FW34 evolua menos que os adversários até o final do ano, modificando o cenário. Mas é certo, a partir do que se viu em Melbourne, que o carro é muito bem nascido. Tudo o que a Ferrari não é.
via Blog do Capelli (acessem)
Rômulo Rodriguez Albarez - São Paulo/SP - Uma bela análise!

F1 2012 - Impressões

O último ano da história (segundo os Maias) começou para a F1, e algumas impressões já ficam:

Só um milagre (título) segura Massa na Ferrari para 2013

1ª impressão – Não dá mais para Felipe Massa, o carro da Ferrari é um lixo (fato). Mas o Felipe consegue transformar esse lixo em algo pior. Está certo que o rapaz das Astúrias, Fernando Alonso rodou no Q2 e não teve a chance de tentar chegar ao Q3, mas mesmo assim, colocou 1 segundo em Massa, que participou do Q2 inteiro e pode dar algumas voltas a mais.
O lixo que a Ferrari deu para Alonso, é o mesmo lixo que deram a Massa. Porém o espanhol pega o lixo e dê maneira épica e milagrosa termina a corrida com o bagulho em 5º, atrás somente das poderosas McLaren e Red Bull.
E o que fez Felipe Massa? Largou bem, começou em “bom” ritmo e depois lhe restou o calvário, como vinha acontecendo ano passado, o brasileiro começa bem e depois perde ritmo, tudo porque não sabe ou não consegue controlar o desgaste dos pneus, Felipe Massa é o sonho de todo borracheiro, precisa trocar mais pneus que a média. E desse jeito com certeza Felipe Massa não continua na Ferrari, e se duvidar não continua nem na Fórmula 1.
Acorda Massa!



Maldonado merecia ter terminado o GP da Austrália


 2ª impressão – Ou a Williams melhorou muito ou o Pastor Maldonado caiu dentro de um balde de energético. Excelente corrida do elétrico apadrinhado de Hugo Chaves, bem ao estilo Juan Pablo Montoya, ou passa ou muro. Infelizmente foi ao muro. Muito me admira um piloto assim, ao invés de se contentar com o sexto lugar na última volta, o Pastor foi pra cima de nada mais nada menos que Fernando Alonso.
Posso dizer que Pastor Maldonado queimou minha língua e daqui pra frente o observarei mais.
Ainda pelos lados de Grove, o primeiro sobrinho Bruno Senna foi discreto e sincero, após a classificação disse que foi cauteloso demais e isso o impediu de melhorar sua volta.
Prefiro um piloto sincero a um que fica chorando as mágoas porque foi bem pior que o companheiro.
É esperar pra ver o ano do Senna, e torcer para que ele se firme na categoria, uma vez que acho que Felipe Massa está aos poucos e sem querer dizendo adeus.


A ótima dupla da Sauber
3ª impressão – A Sauber está em ótimas mãos, em um carro a lenda Kamui Kobayashi, e no outro el mexicano Sergio Pérez.
O carro é bom, rápido, confiável e certamente dará o que falar ao longo da temporada.
Fica aqui mais uma vez o registro da minha torcida para que dêem um carro de ponta para A Lenda Kamui Kobayashi, já que para o Pérez é questão de tempo.


A despedida de David Coulthard
4ª impressão – A Lotus achou seu caminho, assim como a Williams, estão com carros muito melhores que os de 2011, e fica a minha tristeza em saber que Rubens Barrichello quase conseguiu estar em uma dessas duas equipes para este ano. Coisas do destino, assim como David Coulthard deixou a categoria em 2008 pela Red Bull, o escocês não imaginava no que se tornaria a equipe a partir de 2009.


Mercedes 2012 - Carro vencedor ou o Titanic prateado?
5ª impressão – Será a Mercedes um barco furado? A equipe anda bem na classificação, com o tanque vazio, mas em ritmo de corrida, sem comentários. Torço para que tenha sido apenas um dia ruim.


Rômulo Rodriguez Albarez - Terra da garoa sem garoa/SP - E que venha o outono, e que venha o frio!

segunda-feira, 19 de março de 2012

F1 2012 - GP da Austrália

1º Button 2º Vettel 3º Hamilton

Infelizmente não assisti a corrida, porém, valeu muito a pena não ter assistido, pelo que eu li, a corrida foi muito boa, porém, existem coisas mais importantes e prazerosas na vida para priorizarmos que fazem valer cada minuto, a corrida agente assiste, lê, discute, assiste de novo depois. Abaixo um resumo do que eu li, assisti e ouvi sobre a corrida.

O último GP da Austrália antes do fim do mundo foi bem movimentado.
Inglês largando na pole-position, inglês vencendo, venezuelano pressionando espanhol e batendo na última curva, finlandês se recuperando, enquanto isso, lá atrás os brasileiros saindo da corrida de “mãos dadas”, e é claro, um certo brasileiro fazendo muita falta.
Lewis Hamilton fez uma bela e incontestável pole-position no sábado, porém de nada valeu, pois na primeira curva, seu companheiro de equipe, o também inglês Jenson Button o ultrapassou para não perder mais a corrida.
Button foi o piloto de sempre, constante, seguro, inteligente, e a soma de tudo isso foi uma bela e merecida vitória.
Pastor Maldonado teve um ótimo fim de semana, até a última curva. O venezuelano se classificou entre os dez primeiros, vinha fazendo uma ótima corrida, porém no final, estava em sétimo e pressionando ferozmente a Ferrari de Fernando Alonso, quando de repente, o queridinho de Hugo Chaves vai para o muro.
O tio Frank não deve ter ficado lá muito feliz com o Pastor. Mas uma certeza ele tem, o carro de 2012 é muito melhor que o de 2011.
Kimi Raikkonen voltou, no sábado cometeu um erro no treino classificatório e teve que largar em 18º, fez uma ótima corrida de recuperação e terminou em 7º, atrás do mito Kamui Kobayashi.

Os brasileiro saíram da corrida em um acidente desnecessário

Felipe Massa e Bruno Senna vinham fazendo uma corrida fora dos pontos, após um fim de semana para se esquecer. A poucas voltas do fim os dois conseguiram se enroscar e sair da corrida, em uma disputa inútil.
O acidente ilustra fielmente o atual cenário do Brasil na Fórmula 1. Triste, decadente e esperando por um milagre.
Rubens Barrichello não alinhou no grid de largada pela primeira vez em vinte anos. E sua ausência foi sentida em todo o circuito, Fernando Alonso chegou a prestar seu sentimento pelo twitter, Jenson Button e outros também comentaram a falta de nosso Rubinho.
Confesso que foi mesmo estranho assistir ao treino na madrugada do sábado sem Barrichello, espero que faça uma ótima temporada na Indy. Que começa dia 25/03 em St. Petersburg.

A F1 tem sua segunda etapa do mundial no mesmo dia (25), onde será realizado o GP da Malásia, é esperar e ver.


Rômulo Rodriguez Albarez - Sampa/SP - Logo após um ótimo fim de semana com ela que valeu muito a pena!

sexta-feira, 16 de março de 2012

F1 2012 - "torcia por Ayrton, agora por você"

Ayrton Senna com os sobrinhos Bruno (de capacete) e Bianca Senna.
Bruno Senna irá estrear oficialmente na Williams amanhã, no GP da Austrália, e como um Senna, não consegue fugir de questões relacionadas ao seu tio, Ayrton Senna.
Em entrevista a TV Globo, o sobrinho do tri-campeão lembrou-se de sua época de criança, quando recebia “conselhos” de seu tio, que nem sempre eram colocados em prática por Bruno, e até hoje não são:
"A gente brincava um pouco na pista. Eu tentava ultrapassar ele por fora; ele me jogava para fora da pista para mostrar que não era para fazer isso, mas não aprendi nada com isso - tento passar por fora de qualquer jeito", disse, rindo.
Ayrton Senna morreu em 1º de maio de 1994, Bruno tinha apenas 10 anos.
E mencionou também alguns ensinamentos que a carreira e a vida de Ayrton deixaram:
"São muitos da vida dele, a personalidade dele. Ele demonstrou para todo mundo que pode ser um grande esportista e uma grande pessoa também" afirmou Bruno que vem confiante para 2012, "vai ser a primeira chance que vou ter de mostrar porque estou aqui. Chegar à F1 já é uma super conquista, não estou aqui para participar; estou aqui para competir e vencer". Afirmou Bruno. Que ainda disse que os fãs costumam dizer: "torcia por Ayrton, agora por você".
Que Bruno Senna venha, veja e vença, assim como Ayrton.

Rômulo Rodriguez Albarez - Terra da garoa/SP - No coments...

F1 2012 - GP da Austrália - Treinos Livres

Michael Schumacher começou 2012 como nos velhos tempos, melhor tempo na última volta
Enfim começou, chuvoso mas começou, o primeiro dia oficial da temporada 2012 da F1.
Os dois treinos foram praticados em condições de clima instável (chove mas não molha, ou molha mas não chove, decidam aí!). Ou seja, nada foi concluído de quem realmente está na frente.
Já quem está atrás com toda a certeza é a Hispania. Pedro de La Rosa nem marcou tempo, e o indiano Narain Karthikeyan (confesso que olhei seu nome no google para não errar a escrita rs) terminou com um tempo de 13 segundos mais lento que o piloto mais rápido do dia, Michael Schumacher da Mercedes.
O alemão por sua vez, voltou aos velhos tempos ao marcar o melhor tempo da sessão, quando o cronometro já estava zerado.
Os brasileiros Felipe Massa da Ferrari e Bruno Senna da Williams foram discretos com os 7º e 19º lugares respectivos.
A F1 ainda tem o terceiro e último treino livre, que acontece na virada da sexta para o sábado e às 3 da manhã do sábado, o treino oficial que define o grid de largada para o GP da Austrália de 2012.


Rômulo Rodriguez Albarez - Sampa/SP - Chove chuva, chove sem parar ♪♫

quinta-feira, 15 de março de 2012

F1 2012 - 10 anos atrás

Foi ha 10 anos. Mark Webber estreava na F1 pela pequena e hoje extinta equipe Minardi.

A estréia do australiano aconteceu em sua terra natal, e o resultado foi surpreendente em se tratando de Minardi. O piloto terminou a corrida na 5ª posição, ganhando dois pontos para ele e para a equipe, os únicos obtidos naquela temporada.
Após a premiação dos três primeiros, subiu ao pódio com o chefe da Minardi para saudar seus compatriotas pela notável marca.

Mark Webber foi 5º em sua corrida de estréia com uma Minardi
Rômulo Rodriguez Albarez - Sampa/SP - Relembrando uma boa corrida!

F1 2012 - Quatorze títulos na pista

A temporada 2012 começa com muitas novidades e alguns adeus e retornos.
Mas um dado chama a atenção, melhor dizendo, um recorde. Estarão na pista 6 campeões mundiais da categoria, 14 títulos, que vem desde os anos 90, com os dois primeiros campeonatos de Michael Schumacher em 1994/5, depois disso, os donos dos títulos do ano 2000 pra cá estarão na pista
.


A pergunta é, teremos em 2012, um campeão inédito ou um dos atuais irá ganhar uma nova estrela?

Rômulo Rodriguez Albarez - Sampa/SP - Ansioso, vai começaaaaar!

F1 2012 - VAI COMEÇAAAARRRRRRR!!!!!





Rômulo Rodriguez Albarez - Sao Paolo/SP - É hojeeee!!!

Sem comentários

                                              Motorsport - Love for life


Como diria o Fred Mercury, "beautiful".

Rômulo Rodriguez Albarez - Sampa/SP - No aguardo!

terça-feira, 13 de março de 2012

F1 2012 - Vai ser dada a largada!

Bruno Senna e Felipe Massa - É o que temos para 2012


Já ouviram falar em TPT, não? É a chamada Tensão Pós-Temporada de F1, sim, ela existe. Assim como acontece comigo, outros milhares de fãs da F1 sentem isso a cada fim de temporada e não vêem a hora de chegar o dia da primeira corrida da próxima temporada, por mim a Fórmula 1 começaria em janeiro e terminaria em dezembro, mas, querer não é poder, então vamos nos contentar, até porque hoje em dia são muito mais provas do que antigamente.
E finalmente, é com grande alegria que digo, escrevo, grito, ”enfim, vai começar a temporada 2012 da Fórmula 1”. E é verdade, começa no próximo domingo (18/03), na Austrália.
E a temporada vem cheia de tempero, com a volta de Kimi Raikkonen, e a da “verdadeira” Lotus. O dinheiro compra acentos na F1 como nunca, quem diria Jarno Trulli e Rubens Barrichello, o italiano já deveria ter saído em meu ver a alguns anos atrás, pois vinha desmotivado, porém o brazuca tinha lenha pra queimar, e que queime na Fórmula Indy, que seja campeão #tamojuntoRubinho, porém pilotos novos com mais dinheiro e nenhuma experiência ou talento acabam “dominando” a categoria máxima do automobilismo.
Os carros estão feios, bicos jamais vistos no automobilismo mundial viraram tendência, com exceção da McLaren e Marussia, que optaram pelos bicos tradicionais.
Nas palavras de Juan Pablo Montoya, a F1 virou  uma piada. Não concordo totalmente com o colombiano, não se encaixou em nenhuma equipe e saiu da categoria falando mal de todo mundo, é um fanfarrão.
Concordo apenas quando se trata dos cabeças-duras que ainda cuidam da F1, com suas regras estúpidas que diminuem muito o sentido de esporte puro que é a F1, deviam estar pescando em qualquer canto do mundo, mas não, querem estragar o esporte que amamos antes de morrerem. Concordo quando o dinheiro fala mais alto que um talento puro, dinheiro que está nos fazendo perder novos Senna’s, Piquet’s, Prost’s, Clark’s (bem, vocês entenderam).
O que seria do pastor de ovelhas Jim Clark se nos anos 50/60 a F1 optasse por dinheiro ao invés de talento? Eu sei a resposta, seria um anônimo pastor de ovelhas pelo resto da vida. Será que nosso Nelson Piquet teria lugar na F1 de hoje? Não.
Torço imensamente para que a F1 volte aos tempos de “caça-talentos”, onde o talento falava mais alto do que dinheiro para se conquistar um acento em uma equipe.
A pré-temporada não disse muita coisa. Não tivemos uma equipe dominando o curto período de testes.
A Red Bull andou pouco, teve dias de problemas, porém não acredito que tenho andando para trás, a questão é, as demais equipes deram mais passos que a equipe austríaca?
A McLaren vem com a melhor dupla da F1, os dois últimos ingleses campeões da categoria, Button (2009) e Hamilton (2008). E tem gente que ainda considera o Button um segundo piloto, o campeão de 2009 vem correndo de igual para igual com Lewis Hamilton.
A Ferrari vem com aquele papinho de que o carro é ruim, em minha opinião, isso cheira a blefe.
A Mercedes é outra incógnita, estreou o carro no meio da pré-temporada e andou bem.
A Lotus sempre andou bem tanto com Kimi quanto com Romain, espero que façam uma temporada competitiva.
A Force Indian, ao meu ver vai estourar a qualquer momento, seja nessa ou nas próximas temporadas, é uma equipe organizada e que trabalha certo, o sucesso não parece distante.
Falando na equipe B da Red Bull, achei uma sacanagem o que fizeram com a dupla de 2011, principalmente com Alguersuari, foram demitidos de uma hora pra outra, deixando os dois a pé para 2012 e sem chance de conquistarem um acento.
A Sauber é sempre a Sauber, gosto muito da equipe e queria vê-la andando mais a frente do pelotão, tem uma ótima dupla, o mexicano Pérez  é um dos cotados ao lugar de Felipe Massa, enquanto o mito Kamui Kobayashi só não conseguiu um melhor acento porque luta contra o “preconceito” de ser piloto japonês, que são vistos como kamikazes.
A Williams foi umas das equipes que mais andou e alternou entre andar no meio e na frente do pelotão, vem talvez com uma das duplas menos preparadas do grid, junto com a dupla da Toro Rosso.
Não vejo a hora de não considerar a Caterham uma das equipes nanicas, por enquanto não me arrisco.
As nanicas Hispania e Marussia ainda não saíram do lugar.
O cara a ser batido é Sebastian Vettel, atual bi-campeão da categoria, o alemão luta em 2012 para defender o reinado em um casamento perfeito com sua equipe e o projetista Adrian Newey.
Fernando Alonso vem para o seu terceiro ano na Ferrari e aguarda ansioso por um carro vencedor, para enfim brilhar onde ele tanto sonha, no rall dos tri campeões de F1.
Felipe Massa vem em um ano chave, ao meu ver só continua na Ferrari em 2013 se for campeão, o que duvido muito.
Michael Schumacher certamente sairá ao final dessa temporada, a não ser que tenha um ano um tanto vencedor.
Bruno Senna enfim pode se dizer um piloto de Fórmula 1, fez sua primeira pré-temporada e se estabiliza em uma equipe, agora precisa mostrar seu valor para se firmar na categoria.
Kimi Raikkonen voltou, e voltou mostrando que os dois anos fora não o afetaram, pelo menos é o que a Lotus nos diz, veremos o que o início da temporada pra valer nos dirá.
Repito, enfim, vai começar a temporada 2012 da Fórmula 1,  que venha em grande estilo, para um ano histórico, um ano em que o esporte vença.
Saudade de quem se foi e esperança por quem está por vir.



Equipes e Pilotos



Rômulo Rodriguez Albarez - Sampa - SP - ##Luto Alex "Calado" 08/03/12##